Incorporadoras estão tendo sucesso extraordinário combinando análise de viabilidade com seu transacional - Software para Incorporadora e Construtora

A análise de viabilidade não é somente uma exigência técnica da atividade de incorporação imobiliária. Afinal, um empreendimento pode ser avaliado e comparado aos demais ativos de diferentes formas.

Por isso, incorporadoras de sucesso no mercado contam com uma combinação poderosa: análise de viabilidade cruzada com o seu transacional imobiliário.

Ter a melhor inteligência de mercado para coletar dados e elencar fatores decisivos de compra e venda não é algo que surge bruscamente ou sem uma base de apoio. A busca pelos empreendimentos de maior rentabilidade exige não apenas uma análise de viabilidade correta do ponto de vista técnico. É preciso, ainda, que as incorporadoras deem um passo além e possam refletir essas informações em seus processos, acionando alavancas de transformações.

E mais: quando relacionamos a análise de viabilidade de um empreendimento com ativos, podemos potencializar a sua chance de sucesso. Da mesma maneira, todo o transacional da incorporadora é fortalecido, garantindo que futuros ativos alcancem um potencial ainda maior no mercado.

No entanto, colocar essa inteligência de análise de viabilidade em prática pode se mostrar um desafio em muitas organizações do ramo. Por isso, no artigo de hoje, abordaremos mais sobre de que forma incorporadoras podem obter sucesso implementando estratégias focadas nessas informações. Continue a leitura e descubra como a análise de viabilidade pode otimizar a sua gestão. Confira a seguir.

Por que a análise de viabilidade é tão indispensável?     

O processo de análise de viabilidade de um terreno exerce grande importância para a rentabilidade de um empreendimento. No entanto, empresas sem uma estrutura de inteligência de mercado suficiente para potencializar os dados dessa análise perdem em um aspecto central: no controle. Por isso, quando a análise de viabilidade se integra ao transacional da incorporadora, o resultado desse controle pode ser ainda maior e mais valioso.

Entretanto, a complexidade de dados a serem avaliados em um conjunto de análises de viabilidade é grande. Some a isso todo o volume de informações geradas em operações de rotina da incorporadora e seu mercado. Como resultado, tem-se nas mãos um grande potencial de dados que, se não forem estruturados, não permitem que a análise de viabilidade da incorporadora seja utilizada da melhor maneira possível.

Com isso, a análise de viabilidade é indispensável, mas carece de processos flexíveis e que tenham autonomia para que a sua base de dados seja aproveitada em todo o seu potencial.

Com as soluções corretas e uma implementação de sistemas inteligentes pensados para o mercado, é possível viabilizar esses processos nesse caminho. Isso é feito centralizando-se os dados advindos da análise de viabilidade em si.

 

O diferencial da análise de viabilidade com o transacional da incorporadora

Obter sucesso combinando a análise de viabilidade com os dados dos demais empreendimentos da incorporadora exige um trabalho consistente com os dados. E a razão de grandes players do mercado obterem resultados extraordinários está em ter esses dados como ativos além de suas transações.

Neste contexto, ao viabilizar qualquer empreendimento, é preciso que se tenha indicadores e padrões que sedimentem a inteligência de mercado da sua incorporadora. Muitas vezes, essas informações estão sendo criadas em tempo real, durante o ciclo de comercialização do produto imobiliário. Daí a necessidade de pensar os dados como ativos da incorporadora e organizá-los da melhor maneira para extrair valor deles.

Considerando que a tendência de dados não estruturados é o seu crescimento em volume e complexidade, a necessidade é realmente de otimização. Otimização em funções operacionais da incorporadora e em processos dentro do escopo meramente técnico. Desse modo, direciona-se o potencial da incorporadora de forma diferenciada e mais estratégica.

Pense, por exemplo, no comportamento do mercado imobiliário em duas regiões distintas, em praças distantes uma da outra. Para que os processos da incorporadora possam ter impacto nessas frentes, é preciso que eles tenham por trás a inteligência de análises de viabilidade, porém personalizadas para o cenário em questão.

Desse modo, ao ter como prioridade indicadores gerados a partir de dados internos cruzados com a análise de viabilidade, obtém-se uma base mais sólida para os ativos da incorporadora.

Assim, cada produto imobiliário torna-se, também, parte da estrutura de inteligência do negócio, garantindo maior controle ao ciclo de vendas.

Uma solução que combina análise de viabilidade a seus processos de forma ágil

Como vimos, muitos dos dados gerados nos processos da incorporadora surgem em tempo real. Uma análise de viabilidade sem suporte de um pensamento data driven – isto é, orientado a dados -, não consegue aproveitar a visão que esses recursos podem trazer ao empreendimento e o valor potencial para seus ativos.

Com isso, para que se desenvolva uma tomada de decisão ágil e assertiva, é importante que se tenha uma tecnologia de qualidade e especializada como apoio.

A análise de viabilidade, nesse cenário, deixa de se tornar um documento descentralizado e estático. Temos organização de dados, estruturação e análise de indicadores-chave, tudo de forma integrada.

Um sistema completo, como o da Hiperdados, pode contribuir para fortalecer as suas análises de viabilidade. Dessa maneira, não só se ganha maior poder de análise, como reduzem-se os riscos em uma futura compra de terreno ou negociação com construtoras e demais parceiros.

Trabalhar operacionalmente no cruzamento de dados limita largamente a agilidade da incorporadora e a escalagem de seu sucesso. Por isso, é preciso que se tenha uma cultura empresarial que implemente soluções inovadoras e gere estratégias com base na inteligência de mercado sendo alimentada em sua rotina.

Além de ativos imobiliários rentáveis, os dados coletados e cruzados de múltiplas análises de viabilidade estabelecem um ponto de equilíbrio. Tarefas como, por exemplo, a formação de uma carteira de landbank, tendem a sofrer menos com a volatilidade de oferta do mercado.

Considerações finais sobre a combinação da análise de viabilidade com seu transacional

O sucesso que uma incorporadora pode ter combinando análise de viabilidade com o seu transacional não está limitado ao seu escopo atual. Qualquer organização pode alcançar resultados mais qualificados em sua incorporação de imóveis a partir do desenvolvimento de maior inteligência mercadológica.

No entanto, não é qualquer sistema de análise que pode proporcionar os recursos necessários para fortalecer dados de viabilidade de terrenos e imóveis. É preciso dispor de uma solução que otimize tarefas de aquisição e análise, garantindo uma maior precisão e escalabilidade nos processos de incorporação.

A Hiperdados trabalha de forma a monitorar e analisar uma diversidade de variáveis em sua plataforma. Isso garante à incorporadora potencializar todo o seu ciclo de vendas, desde a prospecção do terreno até a entrega das chaves para a imobiliária.

Combinar a análise de viabilidade com a parte transacional da incorporadora nada mais é do que uma prática que busca estruturar dados. O conceito de Data Science na incorporação já nos indica o grande impacto na formatação e modelagem desses dados.

Como vimos, destacam-se os players do mercado imobiliário que utilizam soluções inteligentes e focadas em obter mais eficiência ao lidar com seus desafios e oportunidades. Em incorporação, estamos continuamente observando tendências e padrões que levem a uma melhoria consistente nos resultados.

Você ainda tem dúvidas sobre como a análise de viabilidade pode ser o ponto de partida de resultados extraordinários? Gostaria de saber mais sobre como os dados podem se tornar ativos no transacional de uma incorporadora? Solicite uma demonstração da Hiperdados e saiba como otimizar o seu processo de análise.      

No Comment

Comments are closed.