Inteligência de mercado imobiliário: como tratar os seus dados? - Software para Incorporadora e Construtora

Com ferramentas de análise e a transformação no uso e na implementação de novas tecnologias, tratar dados é um processo mais facilitado hoje em dia. No entanto, mesmo com as opções disponíveis, muitas empresas do mercado imobiliário não investem a devida atenção nessa questão. Isso faz com que a inteligência de mercado imobiliário seja desperdiçada, seja por sistemas antiquados ou por falta de planejamento e aplicação prática dessas informações.

Contudo, sem a experiência ou o contato com sistemas e métodos ligados à inteligência de mercado imobiliário, o negócio pode sofrer prejuízos. Portanto, compreender como tratar dados é algo essencial e que pode direcionar o futuro e a sustentabilidade de ações de rotina de sua incorporadora ou construtora.

A maneira de coletar, analisar e transmitir dados exerce grande importância na criação e na manutenção de inteligência de mercado imobiliário. Bases de dados de grande credibilidade nesse segmento podem ser cruciais ao destacar tendências e mostrar insights para uma tomada de decisão precisa. Porém, esses dados são apenas uma parte do todo.

A seguir, falaremos mais sobre como tratar os seus dados e de que forma essa iniciativa contribui para a inteligência de mercado imobiliário. Acompanhe.

Dados partem de processos integrados

O tratamento ideal aos dados começa nas informações que os compõem. Isso significa que, para a inteligência de mercado imobiliário, é preciso que esses dados possam ser acessíveis e estejam devidamente integrados. Dessa forma, áreas e parceiros comerciais podem usufruir e ter acesso a esses dados de forma atualizada, centralizada e dinâmica.

Nesse contexto, a otimização da inteligência de mercado imobiliário é feita quando relatórios de dados ganham em acessibilidade. De gerentes e gestores à linha de frente, é importante que todos tenham uma estratégia alinhada aos seus processos. Para isso, o tratamento de inserção e tabulação de dados deve obedecer a um sistema que evite retrabalhos e minimize o erro humano na coleta.

Alinhe a inteligência de mercado imobiliário a diferentes áreas de seu negócio

Fazer com que informações complexas se organizem não é uma tarefa simples, sobretudo no curto prazo. A inteligência de mercado imobiliário depende não apenas de dados que possam conter a informação, mas também de comunicação. Incorporadoras e construtoras têm demandas constantes e necessitam de sistemas que gerem essa inteligência de mercado de forma organizada.

O cruzamento de dados é um aspecto importante para o tratamento e a criação de métricas e parâmetros mais precisos. A partir de indicadores e informações claras, áreas distintas em um mesmo processo de estudo de viabilidade ou construção, por exemplo, podem gerenciar tudo de forma mais consistente e com melhores resultados.

Trate dados complexos com personalização máxima

Para que o ramo imobiliário possa se desenvolver, assim como sua empresa, é preciso que sua inteligência de mercado tenha credibilidade e relevância. Quando se coletam e analisam dados, geralmente, parte-se de um processo unificado. O que deve ser ressaltado, porém, é que há uma necessidade cada vez maior de personalização da informação gerada.

Dados podem gerar análises distintas dependendo do contexto e da área que os acessa. Portanto, um cruzamento de dados pode direcionar as informações de forma personalizada e efetiva. Isso poupa o esforço operacional de áreas de sua incorporadora, construtora ou negócio imobiliário, fazendo com que elas tenham um caráter mais assertivo e estratégico para suas operações.

Detectar necessidades de cada profissional em seu trabalho, seja no escritório ou quando ele sai a campo, é uma função primordial que os dados devem refletir. Portanto, o seu tratamento deve considerar um enfoque direcionado e que forneça oportunidades de implementação de estratégias diferenciadas.

Especificando detalhes de métricas a partir do tratamento de dados

Sistemas que utilizam tecnologias georreferenciadas são um grande avanço para a formação da inteligência de mercado imobiliário. A partir de uma região específica, é possível, por exemplo, ter o histórico de empreendimentos comercializados anteriormente e prever tendências em relação à sua sustentabilidade no mercado. E isso é somente um dos exemplos de um cruzamento de dados competente.

A análise de um cenário amplo, como o mercado imobiliário brasileiro, por exemplo, depende de métricas detalhadas. Para isso, é preciso que as margens de erros dos dados gerados sejam minimizadas. Dessa forma, o tratamento de dados deve estar sempre alinhado aos processos, para que possa fornecer métricas mais acuradas e contextualizadas com diferentes períodos e fases em que o mercado se encontra.

Considerações finais

O tratamento de dados é um processo complexo e que exige uma grande força operacional. Felizmente, sua relevância e efetividade são cada vez maiores, graças a sistemas que permitem que eles sejam devidamente analisados, organizados e automatizados para a consolidação operacional dos negócios.

Fatores que afetam o mercado econômico geral, como inflação e PIB, embora importantes, não devem ser os únicos dados que direcionam o seu negócio. A inteligência de mercado imobiliário vai além, e reúne processos de viabilidade, gestão de terreno, estudos georreferenciais e mais.

Para tratar seus dados de maneira dinâmica e automatizada, busque uma solução que possa valorizar seu investimento ao máximo. Para isso, solicite hoje mesmo uma demonstração gratuita e confira como o Hiperdados pode garantir a viabilidade de todos seus processos.

No Comment

Comments are closed.