Quais são as perspectivas do mercado imobiliário em 2019? - Software para Incorporadora e Construtora

O ano de 2018 ainda está marcado por um clima de insegurança no aspecto econômico. O poder aquisitivo do brasileiro se torna cada vez menor, com a subida da inflação no primeiro semestre, e o mercado imobiliário sofre os efeitos dessa diminuição do consumo. Em julho, o preço de imóveis novos e usados caiu. Entretanto, como em todo segmento, períodos de crise podem ser uma sinalização de novas perspectivas. O fim do ano já está próximo e, com ele, uma retomada com o crescimento do mercado imobiliário em 2019.

 

Se quiser entender melhor o mercado e realizar negócios mais rapidamente eliminando riscos, não perca tempo e conheça a nova ferramenta da Hiperdados: Comproterreno! 

 

Quer fazer melhores negócios imobiliários?

Esteja sempre a frente:

quero conhecer o Comproterreno

 

Sua empresa está pronta para se destacar da concorrência e antecipar tendências? Confira, a seguir, algumas das principais perspectivas para o mercado imobiliário em 2019.

1. Oportunidades no crédito imobiliário popular

Em 2019, seu cliente que desejar adquirir um novo empreendimento imobiliário popular poderá se beneficiar. As novas regras do CMN (Conselho Monetário Nacional) tendem a aquecer a concorrência das construtoras e incorporadoras, facilitando o crédito ao consumidor.

Dos recursos da caderneta de poupança destinados para financiamento imobiliário, 80% passam a ser liberados para outras linhas de crédito. Agentes financeiros têm outras opções além do SFH (Sistema Financeiro da Habitação). Isso significa que haverá, em 2019, uma maior liberdade para oferecer financiamentos e empréstimos para outras modalidades de imóveis.

A nova estipulação do CMN entrará em vigor em janeiro de 2019. Com ela, financiamentos como o “Minha Casa, Minha Vida” e o SFI (Sistema Financeiro Imobiliário) ganharão novas oportunidades.

Além disso, tem-se a perspectiva de um aumento no teto do valor do imóvel. Com o sistema de correção modificado, apontam-se novas tendências para o financiamento popular de imóveis. Clientes com perfil de compra de imóveis na faixa entre R$ 250 mil e R$ 500 mil terão uma maior facilidade em sua aquisição.

2. Expansão do mercado imobiliário em 2019

Projeções futuras apontam o começo da saída do cenário de recessão após 2019. O ciclo de variações dos imóveis em território brasileiro tende a ser completo, uma vez que ajustes fiscais e queda de juros futuros ocorram no período.

Apesar de existirem expectativas positivas, a janela para a expansão do mercado imobiliário em 2019 é pequena. As taxas desse crescimento econômico não serão elevadas. É o momento de empresas que detêm o poder de análise de suas métricas investirem de forma precisa, antecipando a variação do mercado.

3. Maior urgência em relação ao resultado das eleições

O ciclo positivo do mercado imobiliário depende de um equilíbrio de fatores macroeconômicos. Os cofres públicos, a Reforma da Previdência e demais questões aguardam uma resposta após as eleições. Portanto, a perspectiva do mercado imobiliário em 2019 precisa ser encarada juntamente com as possíveis reformas e o reequilíbrio da dívida interna.

Por enquanto, o segmento de incorporadoras vive um momento atual de crise e de pequena recuperação. Em 2014, eram 2,5 milhões de trabalhadores no segmento. Atualmente, em 2018, houve uma redução para 1,3 milhão no quadro. Aliado a isso, há um volume crescente de devoluções de imóveis ainda na planta, ou distratos, que podem ter crescido com base na especulação imobiliária.

4. Foco no segmento de imóveis de baixa renda

A perspectiva do mercado imobiliário em 2019 em relação a imóveis de médio e alto padrão ainda é cautelosa. A volatilidade desse nicho tende a desacelerar. Em contrapartida, segmentos de habitação popular, como o Minha Casa Minha Vida, se mantêm resistentes. Além disso, o aumento de renda para empréstimos e financiamentos, como vimos, aumenta a confiabilidade desse perfil de cliente.

O foco no segmento de imóveis desse padrão pode ser uma estratégia valiosa para que empresas continuem competitivas no mercado imobiliário em 2019.

5. Mais segurança e credibilidade em vendas online

As plataformas digitais que incentivam venda e locação de imóveis passam por um momento de desorganização. Anúncios são feitos sem padronização, com ofertas e fotos do mesmo imóvel repetidas. Isso ocorre como resultado do método de trabalho das imobiliárias, que acabam priorizando a quantidade de negócios fechados. Isso, porém, negligencia a experiência de compra do cliente.

Para o mercado imobiliário em 2019, será preciso atuar com excelência e atender novos perfis de clientes, que demandam maior credibilidade na venda de imóveis. Formatos de exclusividade, por exemplo, devem ser vantajosos para ambas as partes e não devem trazerem ônus em caso de cancelamento.

Considerações finais

O mercado imobiliário de 2019 tem algumas barreiras a serem superadas. A retração do poder de compra do cidadão brasileiro é uma realidade atual, e a diminuição do poder de mercado das incorporadoras também. Em algumas praças, como o Rio de Janeiro, a situação chega a extremos. Contratos com longos períodos de carência fazem com que imóveis comerciais tenham meses de aluguel a R$ 0!

Nesse cenário, as possíveis oportunidades positivas serão mais segmentadas e pontuais. Por isso, a perspectiva do mercado imobiliário em 2019 é de que as empresas que estejam à frente em sua inteligência de mercado dominem segmentos no momento adequado.

Como sua empresa enxerga as tendências de desempenho do mercado imobiliário em 2019? Quais são as perspectivas identificadas em seu mercado de atuação? Deixe sua mensagem nos comentários e continue acompanhando o blog da Hiperdados para se manter atualizado. Até a próxima!

No Comment

Comments are closed.