juros de financiamento imobiliário começa a cair e o mercado pode reagir

Um pacote de medidas anunciado pela Caixa Econômica Federal chamou a atenção do mercado imobiliário. A ideia da instituição é estimular a compra da casa própria e atrair um número maior de clientes, e, para isso, reduziu os juros e ampliou o limite de financiamento.

A notícia está sendo recebida de forma positiva por quem pretende comprar imóveis e também por quem atua no setor, como incorporadoras e imobiliárias. Confira as mudanças e como elas podem impactar seus negócios!

Pacote de medidas de estímulo à compra da casa própria

Os juros do crédito imobiliário estão sendo reduzidos 0,25 ponto percentual. Isso significa que, para clientes da Caixa, as taxas podem cair para até 9,75% ao ano. A Instituição também aumentou o limite de financiamento da casa própria, de 80% para 90% do valor total do imóvel, para aqueles que optarem por receber seu salário pelo banco.

A redução da taxa 0,25 ponto percentual se estende, também, para todos os clientes que financiarem imóveis, novos ou usados, e que se enquadrem no Sistema Brasileiro de Poupança e Empréstimo (SBPE), independentemente do seu relacionamento anterior com a Caixa.

Quem optar por imóveis novos ou na planta, com construção financiada pelo banco, e escolha receber o salário pela Caixa, tem direito a taxas especiais: as mesmas dos servidores públicos.

Os juros, nesse caso, caem de 11,22% para 9,75% ao ano para imóveis dentro do Sistema Financeiro de Habitação (SFH), aqueles de até R$750 mil nas principais capitais e R$650 mil em outras cidades. Para os imóveis mais caros, participantes do Sistema de Financiamento Imobiliário (SFI), a taxa cai de 12,5% para 10,75% ao ano, nas mesmas condições.

O limite mínimo de financiamento de SBPE também diminuiu de R$100 mil para R$80 mil. Essa medida procura atender ao mercado de imóveis de menor valor e vale para unidades novas ou usadas, que se enquadram dentro do SFH e SFI.

Empresas e pessoas jurídicas também serão beneficiadas

O novo pacote de medidas também prevê adotar um mecanismo parecido para empresas. Ele é chamado taxa segregada por rating e seu objetivo é beneficiar as companhias com um grande relacionamento com o banco: essas empresas receberão um bônus de até 1,5 ponto percentual na compra de imóveis.

As pessoas jurídicas também podem se beneficiar com a redução de juros para compra de imóveis. A Caixa diminuiu a taxa em 1 ponto percentual em todas as faixas de relacionamento. Para as micro e pequenas empresas, as taxas caem de 14% para 13% ao ano, e, para empresas grandes e médias, a taxa, que era de 13,5% ao ano, agora é de 12,5%.

Impactos da queda dos juros para o mercado de imóveis

Além das medidas apresentadas, a Caixa irá promover o reaquecimento do setor oferecendo incentivos maiores à construção civil. Construtoras podem realizar financiamentos totais, incluindo até partes de obras que já tenham sido concluídas com capital próprio. Esse capital pode ser usado como fluxo de caixa e também vale para obras com o cronograma acelerado.

Os financiamentos de empreendimentos pelo banco tiveram o prazo de construção aumentados, passando de 24 para 36 meses. Além disso, a Caixa está oferecendo carência pós-obra de 12 meses e garantiu a utilização da tabela Price em todos os contratos de produção, além da possibilidade de acrescentar 25% sobre a obra a ser executada.

O objetivo da instituição é alavancar vendas de imóveis novos de construtoras parceiras e atrair novos clientes para o banco. As recentes medidas aumentam a possibilidade de compra de imóveis e ampliam o público comprador, com a diminuição do financiamento mínimo e taxas de juros.

Isso acontece porque as medidas oferecem um maior acesso ao financiamento, já que, dentro das novas regras, o investimento compromete menos a renda familiar e aumenta a possibilidade de compra.

Aumento da demanda das incorporadoras

A expectativa é que essa situação crie uma demanda ainda maior para construtoras e incorporadoras, já que mais pessoas passam a ter a oportunidade e condições de comprar a casa própria. Além disso, ela colabora para a movimentação do estoque parado dessas empresas, o que é algo aguardado pelo mercado há alguns anos.

Apesar de essa ser uma situação extremamente positiva para as empresas do setor, não se planejar, por meio de estratégias de venda e organização financeira, pode tornar o aumento da demanda um problema para a sua incorporadora.

Por isso, se você deseja ter sucesso nessa nova fase do mercado de imóveis, é fundamental investir na estruturação dos processos da sua construtora.

Existem muitas formas de fazer isso, otimizando as áreas administrativas, comercial e construção civil da sua empresa. Uma das principais é contar com um software imobiliário que automatize processos e gere relatórios de análise eficientes, permitindo a gestão completa da sua empresa. Dessa forma, sua equipe ganha agilidade e você tem, de maneira simples, o controle de todos os processos da sua construtora.

Quer saber mais sobre como lidar com o crescimento da demanda e aumentar os resultados da sua empresa? Veja como um ERP imobiliário pode te ajudar!  

No Comment

Comments are closed.

× Conheça o Hiperdados