será que a hora dos fundos de investimento imobiliário está voltando?

Após um período com rentabilidades baixas em razão da recessão econômica, fundos de investimentos que apostam no segmento imobiliário voltaram a proporcionar ganhos altos para os investidores.

Acompanhe o nosso artigo de hoje para entender melhor!

Segundo o Índice de Fundos de Investimentos Imobiliários (Ifix), da BM&FBOVESPA, desde o início do ano até o dia 16 de Setembro de 2016, essas aplicações concentraram ganho superior a 25%.

Em 2012, com cotas negociadas na Bolsa, o rendimento desses fundos chegou a 35%.

Entenda o Ifix

O Ifix tem como propósito ser o indicador da execução média das cotações dos fundos de investimentos imobiliários negociados nos mercados de bolsa e de balcão organizado da Bovespa.

Negócios imobiliários de sucesso

Os fundos de investimentos imobiliários atraem interessados em obter recursos com o rendimento de aluguéis, a administração de imóveis e, ainda, com a valorização das cotas na Bovespa, visto que elas são negociadas na Bolsa.

Os investidores que possuem interesse em investir em imóveis podem comprar cotas de fundos que aplicam seus recursos em hotéis, edifícios comerciais e shoppings centers, entre outros empreendimentos imobiliários.

De acordo com os investidores, uma dos principais privilégios dos fundos é a diversidade, que reduz os riscos de deterioração imobiliária.

Outra vantagem é que o rendimento é isento do pagamento de Imposto de Renda, o que se apresenta como uma boa alternativa para quem não possui capital para investir sozinho, porém quer apostar no setor de imóveis.

Letras de Créditos Imobiliários (LCIs)

As Letras de Créditos Imobiliários (LCIs) é um exemplo de fundo de investimento imobiliário que também tem a remuneração calculada por um índice de inflação e uma taxa de juros prefixada. Elas estão em alta desde 2015, o que estimulou o avanço do retorno desses fundos. Outro motivo foi que, com o mercado imobiliário em baixa, suas cotas depreciaram.

Aposta dos investidores

Os fundos de investimentos imobiliários estão novamente atraindo a atenção dos investidores por conta de uma mistura de motivos, ainda que empresas do setor, como imobiliárias, construtoras e incorporadoras, estejam enfrentando contratempos desde o começo da recessão.

Muitos desses investidores acreditam que o Banco Central deve encolher a taxa básica de juros da economia brevemente, o que acarretará na perda da lucratividade de investimentos em renda fixa e fará com que eles busquem alternativas mais vantajosas.

A crise também fez com que muitos fundos imobiliários se tornassem mais acessíveis, o que atraiu os holofotes dos investidores que confiam que terão uma boa rentabilidade de negócios imobiliários com a volta do crescimento da economia.

Os especialistas alertam para que os investidores tenham cautela

Segundo especialistas, é necessário encarar com cautela a exaltação com os fundos de investimentos imobiliários, dado que a recuperação do setor não repercutirá no comportamento de todos os tipos. Por isso, eles aconselham que os investidores examinem antes de optar por um fundo de investimento imobiliário.

A título de exemplo, cotas de fundos que aplicam seus recursos em shoppings centers demonstraram prejuízos porque muitos lojistas encerraram suas atividades. Fatores como faturamento com estacionamentos e locação de outros empreendimentos comerciais contribuíram para neutralizar essas perdas.

No entanto, quando se trata de vacância em alta, o problema é ainda maior no mercado de escritórios corporativos do que em shoppings. Sim, os anos de vacância próxima a zero nesse segmento ficaram para trás. Atualmente, há mais espaços desocupados, o que faz com que os locadores se sintam mais pressionados a ter melhores condições de locação, além de maior flexibilidade para negociar valores.

Outro exemplo são os fundos que aplicam seus recursos em agências bancárias, que podem se transformar em opções menos proveitosas no futuro, já que veio à tona que alguns bancos têm a intenção de fechar agências.

Outra recomendação dos especialistas é de que os investidores restrinjam seus riscos, ou seja, que não centralizem seu dinheiro em fundos imobiliários que invistam em um só empreendimento. Segundo eles, o mais indicado é apostar na diversificação de carteiras.

Ademais, alertam sobre a volatilidade que os fundos de investimentos imobiliários podem apresentar: alguns que não aplicam em renda fixa não conseguem garantir rentabilidade.

Fundos imobiliários: grande aposta para quem quer ter retorno ao longo prazo

Os fundos de investimentos imobiliários se mostram como uma boa opção para quem quer investir em um imóvel para comercializar ou alugar, já que concede maior possibilidade de se te ruma rentabilidade maior.

Eles são indicados, principalmente, para quem tem a intenção de diversificar seus investimentos e de ter retorno ao longo prazo, o que significa não planejar retirada de seu capital antes de cinco anos.

Para ter bons rendimentos das altas rentabilidades dos fundos imobiliários, é aconselhável comparar as taxas de administração e contar com um profissional de confiança.

Como esses fundos são negociados?

  • São negociados pela Bolsa e compostos por investidores que possuem o objetivo de empregar dinheiro no setor imobiliário.
  • É possível encontrar cotas com valor inferior a R$100.

Como os investidores podem ganhar?

  • Podem obter rendimentos trazidos pelo próprio imóvel ou pela comercialização de suas cotas a outros investidores. Os fundos não compram as cotas novamente. Dessa forma, os investidores que quiserem sair precisam encontrar outros que mostrem interesse. Nesse caso, eles estão sujeitos ao pagamento de imposto de Renda de 20% sobre o lucro obtido.
  • Não é necessário que os fundos arquem com impostos ao comercializar seus imóveis e o rendimento é repartido também com os cotistas.

Qual é o custo?

  • Os custos envolvem taxas de corretagem da corretora e comissão para a Bolsa.
  • O rendimento mensal é isento de imposto de renda para investidores com menos de 10% das cotas de fundo com mais de 50 cotistas.

A taxa de administração cobrada por corretoras pode prejudicar a rentabilidade?

  • Sim. Um alto custo pode significar perda de dinheiro no retorno. Por isso, é importante comparar as taxas de administração.

Sugestões, dúvidas:deixe seus dados que faremos contato

e até o próximo post

escrevendo minha opinião

No Comment

Comments are closed.